Seu nome é sua marca? Também precisa registrar

  •  Allmark  |  
  •  20 de abril de 2021  |  
  •  1 comentário

Com o crescimento da utilização das redes sociais para autopromoção, virou tendência utilizar o próprio nome como marca

Juliette Freire (@juliette.freire), de 31 anos, tinha pouco mais de 3 mil seguidores no Instagram quando entrou na 21ª edição do Big Brother Brasil. Agora ultrapassa 17,7 milhões e seu perfil só cresce, aparecendo no ranking dos maiores influenciadores do Instagram Brasil.

A paraibana virou marca e ainda nem sabe disso!

O nome de Juliette pode ser encontrado frequentemente nos tópicos mais comentados, e marcas patrocinadoras do BBB também aproveitam sua popularidade, como a Lacta, por exemplo, que disponibilizou cupons de desconto específicos para fãs da moça e viu esgotar em seu site oficial o Ovo de Páscoa preferido dela.

Fizemos uma pesquisa e verificamos que o nome patronímico Juliette Freire ainda não tem registro no INPI – Instituto Nacional de Propriedade Industrial.

Importante ressaltar que no caso de pessoas famosas, seu nome não pode ser registrado como marca por terceiros, sem a sua prévia autorização por escrito. Somente o(a) famoso(a) pode fazer o registro da própria marca, para produtos que defina como associados a seu nome.

PESSOA FÍSICA PODE SER MARCA

Juliette Freire não previu que sua entrada no programa a tornasse tão famosa, a ponto de seu nome virar uma marca. Sim, pessoa física também pode ser uma marca!

Anteriormente o INPI não autorizava o registro de marcas em nome de pessoa física, mas, hoje, já é possível ser feito, o que facilita bastante e, aliás, acompanha uma tendência, pois mais pessoas estão utilizando o próprio nome como marca, possivelmente em decorrência do maior uso das redes sociais e do crescimento da chamada economia digital.

“O ponto para o qual chamamos atenção é que muitas pessoas não acreditam que, usando o mesmo nome, tem necessidade de registrá-lo como marca, mas é extremamente importante que se faça o registo também do nome patronímico”, enfatiza o mentor de marcas da Allmark, Edmilson Lima.

Muitas empresas têm o mesmo potencial da Juliette e ainda não entenderam que podem tornar sua marca valiosa. O caso da BBB cria uma oportunidade para quem ainda não fez seu registro de marca, seja pessoa física ou jurídica, atentar-se para a importância de dar este passo decisivo de regularização.

#ficaadica

LEIA TAMBÉM:
Você sabe a diferença entre marca e patente?

Allmark – registro, consultoria e mentoria de marcas

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Teimosia que custa caro

Muitas vezes, mesmo sabendo que precisa registrar a marca, o empreendedor deixa para depois… E o depois custa caro! Quem lida diariamente com a questão de registro de marcas e patentes de produtos, como a Allmark, tem inúmeras histórias para contar de casos em que o empreendedor — ou por desconhecimento ou por pura teimosia […]

LEIA MAIS
capa do artigo "Entenda como acompanhar o pedido de registro de marca e veja como fazer o registro"

Entenda como acompanhar o pedido de registro de marca e veja como fazer o registro

Quem deseja registrar sua marca e proteger sua empresa busca esclarecer várias dúvidas sobre o tema assim como acompanhar o pedido de registro de marca. Além disso, muitas são as dúvidas sobre este procedimento, já que ele é um tanto burocrático. Embora seja um procedimento com muitos detalhes técnicos, o registro de marca é tão […]

LEIA MAIS

Lojas virtuais e cursos online precisam do registro de marca?

O mercado digital está crescendo e com ele as dúvidas com relação à necessidade de regularização no ambiente virtual Uma dúvida comum a muitos empreendedores digitais é quanto à necessidade de regularização do registro de sua marca e a resposta não poderia ser outra: claro que precisa! Ao contrário do que se diz, a internet […]

LEIA MAIS